Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Segurança’

In: Vrum

Imagem

Um dos grandes dilemas de cidades médias e grandes é a postura dos motoristas ao volante. A maioria ainda ignora os princípios básicos de civilidade e tumultua a circulação de veículos pelo egoísmo e desconhecimento das regras básicas. Saiba o que pode ser feito para diminuir a agressivade entre os motoristas e as ruas e avenidas não se transformem em cenário de guerra urbana.

Para garantir um trânsito mais seguro e dinâmico, o Código de Trânsito Brasileiro determina onde cada veículo deve estar e quem tem a preferência. Separamos algumas situações-chave para você conferir se ainda está em dia com as lições da autoescola.

RETORNO NO CANTEIRO central – Essa é das dúvidas repentinas que mais assolam os motoristas. O jeito certo é permanecer à sua esquerda, próximo ao canteiro central. Não esqueça de sinalizar a intenção de retornar, já que a faixa da esquerda é comumente usada para o trânsito rápido.

(N/E) Agora, se você está usando um canteiro para entrar numa outra rua que o cruza. aí sua manobra deve ser de forma a que você pare/siga com sua moto/carro de frente para a rua que você vai entrar. Ou seja, pare na faixa imaginária ou demarcada direita do ‘miolo’ do canteiro, de frente pra faixa direita da rua onde você vai entrar.

ROTATÓRIA – Regrinha básica também: quando não há sinalização, a preferência é de quem já está na rotatória.

(N/E) Eu adicionaria: A rotatória é como se fosse um cruzamento invertido. Como? Quer dizer que, na rotatória, a preferência é de quem vem da esquerda. Essa eu aprendi quando ainda estava tirando habilitação. Sigo isso e nunca tive acidente ou susto. Mas é preciso MUITA atenção quando se vai percorrer uma rotatória. Sempre olhe e sinalize suas intenções. A seta ou lanterna é importante e deve ser usada em todas as manobras que for fazer.

NA PRAÇA – Você se aproxima de uma praça que oferece a opção de conversão em diversas ruas e pretende contorná-la. O melhor é se manter à esquerda, para não atrapalhar os outros veículos que pretendem entrar em alguma dessas ruas.

CRUZAMENTO SEM SINALIZAÇÃO – Sabe quando dá a louca nos sinais e eles param de funcionar? Se não chegar ninguém para controlar o trânsito, de quem será a preferência? Bom, daí depende. Em primeiro lugar, a preferência é do carro que transita por uma rodovia. Nos demais casos, a preferência é dos veículos que vierem à direita do condutor.

(N/E) Se você estiver em Campo Grande MS, acione a Polícia Militar de Trânsito pelo 190 ou então a Agência Municipal de Trânsito – Agetran pelo 118 ou 3314-9973). Em cada semáforo há um número identificando-o. Informe ao atendente o número do sinal e em que rua e cruzamento ele está.

VEÍCULO EM URGÊNCIA – Está no código de trânsito. Quando se percebe a aproximação de veículos em urgência (ambulância, polícia, salvamento etc.), os demais veículos devem deixar a faixa da esquerda livre, deslocando-se para direita e parando, se necessário.

SINAL X FAIXA – Sinal verde é para o carro passar, correto? E na faixa de pedestre a preferência é dos transeuntes, ok? E quando as duas sinalizações se encontram, o que prevalece? O sinal!

FILA NA ESTRADA – Essa situação também é clássica. Naquela estrada com pouquíssimos pontos de ultrapassagem, é comum formar uma fila de carros atrás dos veículo mais lentos, como um caminhão carregado. Daí vira aquele festival de absurdos, um carro cortando o outro. Para que todos sejam respeitados, o correto é que os veículos da fila mantenham distância entre si para possibilitar que os motoristas que queiram ultrapassar possam ir intercalando o comboio.

FECHANDO O CRUZAMENTO – Engana-se o motorista que tem o direito de fechar um cruzamento só porque o sinal está aberto. É preciso prestar atenção e, caso não caiba mais nenhum carro depois do cruzamento, o melhor é esperar. E nada de invadir a faixa de pedestre.

NO SENTIDO CERTO – Para estacionar na rua, quando não houver sinalização orientando, é preciso estar atento ao sentido do fluxo. Se você estacionar seu carro no sentido oposto estará sujeito a multa.

NA PERPENDICULAR – Também existem normas para as motos estacionarem. A posição correta, também se não houver sinalização orientando, é na perpendicular em relação ao meio-fio.

NÃO ABRA A CURVA – Olha essa. O artigo 35 do CTB determina que antes de qualquer deslocamento lateral, que pode ser entendido como a transposição da faixa de trânsito, o motorista deve indicar seu propósito de forma clara e com a devida antecedência. Então, nada de abrir a curva, invadindo a faixa ao lado, a não ser que você esteja dirigindo uma carreta. Mas se for fazer, não deixe de sinalizar.

(N/E) Eu abro as curvas transpondo faixa. Mas primeiro eu faço a curva fechada, olho nos retrovisores, inverto a seta se for preciso e daí abro transpondo as faixas até onde eu quero ir. Mas eu sempre olho os retrovisores. Na dúvida, eu não vou. E sinalizo tudo com seta. Até pra desviar de c*c* de cachorro eu dou seta…

E a minha nota final sobre esse texto é: Em Campo Grande, você precisa ser ninja pra pilotar ou dirigir. O povo aqui acha que a Lei de Trânsito tira folga aos finais de semana, à noite e nos horários de entrada e saída de estudante….

Anúncios

Read Full Post »

Pra quem ainda tá tirando carteira de habilitação (ou “carta”, como se diz no estado de São Paulo…) ou pensa em tirar ou ainda já tem a bendita CNH, vai uma dica pra lá de importante para manter o equilíbrio:

Se você anda de motocicleta, ou seja, o veículo de duas rodas em que se pilota na posição montado, tal como num cavalo, é imprescíndivel andar com as pernas juntas, pressionando o tanque. Essa “encoxada” no tanque ajuda a manter o equilíbrio sobre a motoca.

Tanto é verdade que o Detran-MS recomenda isso nos panfletos de conscientização dos riscos de acidente com motos distribuídos a motociclistas. E é fato: eu mesmo testei isso enquanto tirava minha habilitação. Na hora de treinar os percursos de equilíbrio nos cones, era quase impossível não pôr o pé no chão na hora de fazer os 8, zeros e labirintos. Mas mantendo as pernas juntas à moto e pressionando o tanque, dava pra fazer tudo com bom espaço e sem medo de cair. Resultado: Reprovei o primeiro exame, por não ter feito isso, mas fui impecável na segunda tentativa.

Fica a dica. E se você tá treinando numa motoneta (posição “sentado”, como nas Biz, Sky, Web, Win…), o jeito é emprestar uma moto mesmo ou achar outro jeito de manter o equilíbrio…

Read Full Post »

Licencinha....Com a época de férias o número de motos e carros nas estradas aumenta consideravelmente. Além dos cuidados com a manutenção dos veículos é importante ficar atento à sinalização. Muitos acidentes podem ser evitados apenas com o cuidado redobrado e o bom senso é fundamental, já que muitas vezes um pequenino descuido pode comprometer aquela que seria suas merecidas férias.

Abaixo, alguns dos sinais utilizados na comunicação visual entre os motoristas, principalmente entre caminhoneiros e motoristas de ônibus. Esses sinais não constam de nenhuma enciclopédia, trata-se de uma cultura popular e saber o significado deles é bastante útil. Aprenda a interpretar alguns desses sinais da estrada.

Piscar faróis
Essa prática é usada para indicar aos veículos que trafegam em sentido contrário que eles irão encontrar alguma dificuldade pela frente. A intenção é passar aos outros motoristas que existe algum problema adiante e assim é melhor reduzir a velocidade e ficar atento. Pode ser um acidente, uma queda de barreira ou mesmo tráfego parado. Alguns utilizam esse sinal para indicar policiais na pista.

Piscar faróis com insistência
Esse é um aviso para o veículo que segue na frente. Se o motorista que segue atrás insiste na piscada de faróis significa que o carro da frente está com algum tipo de problema. Porém é conveniente reduzir a velocidade é observar se o carro que emite os sinais não está mal intencionado, pode ser uma cilada também. Assim, convém tentar sentir se o seu veículo está mesmo com problemas. Observe se surgiu algum barulho estranho. Se for um carro e estiver carregando algo no teto ou rebocando, aí pode ser que algo se soltou.

Piscar faróis e buzinar
É um aviso para o veículo que vai à frente facilitar a passagem. A insistência na piscada de luz e na buzinada indica que o veiculo de trás está com problemas, seja mecânico, falha no freio, alguma pane ou mesmo transportando um ferido ou doente em estado de emergência. Em certas ocasiões o veículo que segue em dificuldades pode também ligar o pisca alerta, embora não seja recomendado.

Duas buzinadas
Devem ser toques rápidos e curtos. Essa buzinada significa um agradecimento. Pode ser utilizado quando o motorista que segue a frente permitiu ou facilitou a ultrapassagem. Em outras palavras é um muito obrigado sonoro. Se você foi quem facilitou a ultrapassagem, responder com dois toques rápidos também é bem-vindo. É como se fosse um “de nada”.

Seta esquerda ligada
Na estrada, quando o veículo a sua frente ligar a seta esquerda, saiba que ele quer te avisar para não ultrapassar naquele momento, já que provavelmente há outro carro vindo no sentido contrário.

Seta direita ligada
Esse sinal indica que, naquele momento, pode-se fazer a ultrapassagem com segurança, já que não há nenhum veículo vindo no sentido oposto. Esse tipo de sinalização convém atenção, pois o motorista a frente pode se enganar ou mesmo sinalizar que vai sair da estrada e virar a direita.

Se você for trafegar em uma estrada de outro país, esqueça tudo. Esses sinais só servem se for aqui no Brasil.

É importante sempre observar os limites de velocidade e em caso de pista única com dois sentidos, observar a faixa amarela que divide a estrada. Mesmo que o veículo da frente indicar possibilidade de ultrapassagem, certifique-se de que a faixa não seja contínua, o que impede a manobra naquele ponto da estrada.

Lembre-se também que o maior número de acidentes acontecem durante as ultrapassagens e a principal causa deles é a imprudência. Nunca ultrapasse em curvas e aclives ou quando você não tiver a visão do fluxo dos carros contrários.

Via G1

Read Full Post »

motochuva.jpg
Andando na chuva: o que fazer pra não ganhar o chão
“O asfalto é como um grande ralador, apenas esperando que você caia nele” (Paulino, um grande amigo. Corumbaense e advogado)

Se você puder evite andar na chuva especialmente na estrada, pois sua visibilidade é menor e a dos outros veículos também, mas se caso for necessário tenha sempre uma roupa de chuva, pois o desconforto ou o frio ajudam você a perder a concentração o que pode tornar-se um risco desnecessário.

Andar na chuva requer alguns cuidados que podem fazer uma enorme diferença em termos de segurança, vejamos alguns desses tópicos:

Na cidade: evite o canto interno das curvas, pois é lá que junta toda a sujeira que a chuva varre, é por onde circulam os veículos pesados, onde geralmente vazam óleo diesel e combustíveis que são um verdadeiro sabão especialmente quando molhados;

Poças d’água: evite-as, pois geralmente elas escondem buracos que podem provocar quedas;

Na pista de rolagem: tanto na cidade quanto na estrada ande sempre atrás das rodas do veículo a sua frente (prefira veículos pequenos), pois ele sempre irá desviar as rodas de buracos e obstáculos a frente e se você estiver nesta trilha da roda, também terá menos água nos pneus, ajudando a evitar a perigosa aquaplanagem; Atenção>> isto também vale para pista seca!

Calibragem dos pneus: se você quiser aumentar sua segurança na chuva diminua a pressão dos pneus, quanto mais superfície de contato na pista mais seguro, diminua até oito libras, mas lembre de voltar a calibrar quando parar a chuva.

Frear na chuva: a pressão que se exerce no manete do freio quando está seco deve ser o mesmo nas condições molhadas, o adequado é que essa proporção seja de 70% na roda dianteira e 30% na roda traseira, porém sempre de modo gradual e contínuo até a moto parar, mas atente para uma coisa: por estar molhado o disco de freio, na hora que você for acioná-lo ele terá um breve retardo na ação e a reação normal seria apertar um pouco mais para causar a freada, mas essa atitude pode ser fatal, pois o disco molhado desliza as pastilhas e quando você imprime mais pressão, ele seca rapidamente e pode causar o bloqueio da roda (alicatar) e nesse caso, é chão na certa, portanto freie com cuidado e com calma mesmo nas condições mais adversas.

Faixas pintadas: as faixas pintadas no asfalto costumam ser escorregadias especialmente molhadas, portanto, evite andar por elas e mais ainda, evite acelerar e inclinar forte a moto ao passar. O mesmo vale para o momento de parar. A tinta utilizada na pintura das faixas contém plástico e outros compostos que “viram” algo semelhante a vidro, para refletir a luz à noite e ficarem mais visíveis. E isso molhado, vira um sabão.

Fonte: AMO – BA. In: http://www.motoesporte.com.br/dicas/como%20andar%20chuva.htm. Meus acréscimos estão em azul. O texto está ótimo, mas não resisti a deixá-lo com um pouco do meu estilo. A fonte está devidamente citada, ok?

Read Full Post »